O servidor Alexandre Pranckunas, da 4ª Auditoria da 1ª CJM, é o representante dos servidores em Comitê O servidor Alexandre Pranckunas, da 4ª Auditoria da 1ª CJM, é o representante dos servidores em Comitê
21/06/2016

Saiu o resultado das eleições para o Comitê de priorização da 1ª Instância: Alexandre Pranckunas foi o vencedor

Saiu o resultado das eleições feitas junto aos servidores da 1ª Instância da Justiça Militar da União para a escolha de um representante para compor o Comitê Gestor de Priorização do Primeiro Grau da JMU.

A votação ocorreu durante todo o dia de ontem (20). O pleito, que teve nove candidatos, começou às 9h e foi encerrado às 18h.

Dos 465 eleitores aptos a votar, 141 (30,3%) fizeram jus e digitaram seu voto na urna.

O servidor mais votado foi Alexandre Ferreira Pranckunas, técnico judiciário da 4ª Auditoria da 1ª CJM (Auditoria do Rio de Janeiro-RJ), que teve 39 votos (27,66%).

O segundo colocado foi Ricardo Moglia Pedra, analista judiciário da 2ª Auditoria da 3ª CJM (Auditoria de Bagé-RS), com 37 votos. Ele assumirá o cargo de suplente do representante dos servidores, no Comitê.

A abstenção foi de 69,6%, ou seja, 324 servidores deixaram de voltar.

A eleição foi  organizada pela Auditoria de Correição, sob supervisão da juíza-auditora corregedora Telma Angélica de Figueiredo. 

O mandato do servidor no Comitê será de dois anos, juntamente com o suplente.

Veja aqui o quadro geral da votação.

 

Trabalho do Comitê Gestor

O Comitê trabalhará na gestão e implementação da Política Nacional de Atenção Prioritária ao Primeiro Grau, instituída pela Resolução nº 194/2014, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Participarão do grupo, além do servidor eleito: o juiz-auditor corregedor, como presidente; um juiz-auditor de cada uma das Auditorias Militares; e um servidor da primeira instância a ser designado pelo presidente do STM.

Entre as atribuições do comitê, destacam-se a elaboração do Plano de Ação de Priorização do Primeiro Grau; atuação na interlocução com o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), com a Rede de Priorização do Primeiro Grau do Poder Judiciário e instituições parceiras; e implementação de projetos e ações.

Saiba mais detalhes sobre a política de priorização do Primeiro Grau.

 

 

Mais nesta categoria
Notícias